quarta-feira, 29 de agosto de 2007

A " Ritmos e Blues " e o preço dos bilhetes.

Toda a gente sabe que o preço dos bilhetes para o concerto dos Rolling Stones de Junho passado atingiu valores escandalosos (entre 69 € e 142 €), à semelhança do último concerto dos U2 em que o bilhete mais barato custava a módica quantia de 54 €. Parece que esta tendência se vai manter com o concerto dos The Police, em Setembro, no Estádio Nacional com o bilhete mais acessível a custar uns tão somente 55 €. Ainda não tinha trazido este assunto à baila porque, apesar de achar escandaloso os valores praticados, entendia que ia apenas quem queria. Como muita gente também dei 69 € para poder assistir ao concerto. Pensava eu (e a promotora) que os bilhetes se venderiam num ápice e mal foram colocados à venda comprei o meu com receio que pudesse esgotar. Não foi de ânimo leve que paguei aquele valor mas pensei: gosto dos Stones o suficiente para fazer este sacrifício, ainda para mais quando nunca os tinha visto aos vivo. A perspectiva de não voltar mais a vê-los pesou também na minha decisão.
Da parte da Ritmos e Blues, empresa promotora destes concertos, alguém terá confessado o pouco interesse em relação à realização dos grandes festivais de Verão, apesar de em tempos ter realizado o festival da Ilha do Ermal. A principal razão prendia-se com o facto de o mercado estar saturado e não pretender regressar a este tipo de eventos para perder dinheiro. Por esta lógica também não haveria mercado para a realização do Alive, o mais recente dos grandes festivais realizados que acabou por ser um sucesso, tendo já data marcada para próximo ano. O festival Delta Tejo, embora de menor dimensão, também não se saiu nada mal na sua primeira edição. O pouco interesse manifestado pela Ritmos e Blues pelo formato dos festivais leva a concluir que prefere os grandes concertos onde pode trazer artistas que não fazem a festa por menos e, de forma prepotente, dar-se ao luxo de cobrar valores exorbitantes pelos bilhetes, dando a entender que o que não é capaz de ganhar de uma forma, procura fazê-lo doutra. Infelizmente esta promotora parece não estar muito preocupada com o espectáculo e porquê? Em relação ao concerto dos Stones seria preferível pedir menos pelos bilhetes (entre 45 € e 90 € por exemplo) e ter o estádio esgotado. Mas saiu-lhe o " tiro pela culatra " porque ao contrário do esperado a lotação do concerto esteve longe de esgotar. Ou estaria a Ritmos e Blues à espera que o concerto dos Stones em Alvalade esgotasse facilmente para uma banda que recentemente actuou no nosso país por duas vezes. A postura arrogante da parte da promotora ao pensar que seria fácil esgotar um concerto fosse qual fosse o valor pedido pelos bilhetes voltou a repetir-se agora em relação os The Police. Já para não falar no preço dos mesmos, começaram por ser colocados à venda exclusivamente nos balcões das agências do Barclays, sem grandes resultados. Finalmente ficaram disponíveis para venda nas agências.
Voltando ao início... recentemente li que os bilhetes para o concerto dos Stones foram colocados à venda a metade do preço para evitar que o Estádio de Alvalade estivesse a meio gás. Mesmo assim não estiveram mais de 30.000 pessoas em Alvalade, longe dos 50.000 bilhetes colocados à venda. Para quem pagou 69 € (no mínimo) pelo bilhete custa a aceitar que o mesmo esteja à venda pouco tempo antes do concerto a metade do preço. Este escândalo deve ser denunciado para que a Ritmos e Blues não faça o que bem entenda. Posso perder o concerto dos The Police mas, da minha parte, não vai nem mais um cêntimo para esta promotora de duvidosa credibilidade.

8 comentários:

Ricardo S disse...

Subscrevo.
Abraço.

Rodrigues disse...

Caro amigo, este é um tema que devemos por em foco.
As promotoras dos eventos estão a fazer um mau trabalho de promoção da musica.
Subscrevo e apoio, preços justos já

june disse...

novo Blog dedicado aos anos 80.

http://vivathe80s.blogspot.com

BV disse...

Caros Ricardo e Rodrigues, obrigado pela vossa participação. O preço dos bilhetes é um problema que afecta todos os amantes de música, já para não falar dos discos! Enquanto as editoras não deixarem de considerar o música como um luxo, o pessoal vai continuar a piratear. Quanto aos concertos, à exepção dos festivais (com bilhetes mais em conta), convinha às promotoras, em especial a " Ritmos e Blues " terem mais respeito pelo público.

Aproveito também para dar as boas-vindas a June e ao seu novo blog dedicado aos Anos 80! Certamente o visitarei em breve procurando dar o meu contributo. Desejo as maiores felicidades a June e ao seu " Vivathe80s ". Volte sempre e não deixe de participar no Eléctrico 80...

Rita disse...

É certo que os bilhetes são caros. Isso é inquestionável. No entanto, ao contrário do que se pensa, na maior parte das vezes são as bandas que estipulam o valor do bilhete e não o promotor.
A srª Barbra Streisand, por exemplo, recusa-se a fazer um espectáculo onde o valor do bilhete fique abaixo dos 300 euros...

BV disse...

Bom Dia Rita!:)
Seja bem-vinda ao Eléctrico 80. De facto uma parte do problema é essa que referiu: os artistas por sua iniciativa definem o valor dos bilhetes e da parte das promotoras não há muito a fazer. Mas também me parece que a Ritmos e Blues tem um apetite especial por concertos de bandas consagradas que se fazem pagar bem, em detrimento da revelação de novos valores ou mesmo festivais. Esta promotora lá terá as suas razões e se opta pela via dos concertos caros é porque também tem interesse nisso. Mas o que mais me indignou, isso sim, foi a venda de bilhetes a metade do preço nas vésperas do concerto dos Stones...

Loverboy disse...

Barbra Streisand 300 € ???? Nem que me fizesse um broche todos os dias durante 1 ano. Ela é que tinha de me dar 300 € para eu ir a um concerto ouvi-la.. Loverboy Forever

Tiago disse...

Meus Caros,

Eu percebo que os preços dos bilhetes comecem a ser um pouco desconfortáveis, mas não pensem apenas no preço do bilhete e antes, olhem para os custos da produção de uma concerto destas dimensões, que são enormes.
outro ponto, convido a todos a darem uma olhadela pelos preços praticados em outros países ou mesmo aqui a visinha espanha, e pf não me deêm a resposta mas la ganhasse mais, sim mas existem concertos que o bilhete mais barato são 250 libras, e em termos de custos nesses países comparativamente são menores.
enfim, as coisas não são assim tão lineares, eles podem por bilhetes mais baratos, mas ou não fazem o concerto ou perdem dinheiro e isso não cabe na cabeça de ninguém